Programa de Educação Tutorial - PET

PET 

Criado em 1979 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES com o nome Programa Especial de Treinamento – PET, este programa foi transferido no final de 1999 para a Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação e, em 2004, o PET passou a ser identificado como Programa de Educação Tutorial.

O Programa é composto por grupos de aprendizagem e busca propiciar aos alunos, sob a orientação de um professor tutor, condições para a realização de atividades extracurriculares, que complementem a sua formação acadêmica, procurando atender mais plenamente as necessidades do próprio curso de graduação e/ou ampliar e aprofundar os objetivos e os conteúdos programáticos que integram sua grade curricular.

O PET é um programa de longo prazo que visa realizar, dentro da universidade brasileira, o modelo de indissociabilidade do ensino, da pesquisa e da extensão. Ao desenvolver ações dessa natureza, de maneira articulada, permite uma formação global, tanto dos seus membros quanto dos demais alunos do curso, proporcionando-lhes uma compreensão mais abrangente de suas responsabilidades no que tange à sua relação com a comunidade que está a sua volta. Ao mesmo tempo, a multiplicidade de experiências contribui para reduzir os riscos de uma especialização precoce.

Algumas das atribuições do tutor são:

  •     planejar e supervisionar as atividades do grupo;
  •     dedicar carga horária mínima de 8 horas semanais para orientação dos petianos, sem prejuízo das outras
  •     atividades acadêmicas;


As atribuições do petiano são:

  •     zelar pela qualidade acadêmica do PET;
  •     participar das atividades programadas pelo professor tutor;
  •     manter bom rendimento no curso de graduação;
  •     publicar ou apresentar, em evento de natureza científica, um trabalho acadêmico por ano, individualmente
  •     ou em grupo.
  •     dedicar-se às atividades do Programa de Educação Tutorial com carga horária mínima de 20 horas semanais;
  •     não receber qualquer outro tipo de bolsa.


Será admitida a participação de alunos não bolsistas em até metade do número de bolsistas por grupo. Estes alunos estarão sujeitos aos mesmos requisitos de ingresso e permanência exigidos para o aluno bolsista, inclusive quanto à participação no processo de seleção e às atribuições do aluno bolsista.
A participação de um aluno em um grupo PET, dar-se-á a partir da aprovação em processo de seleção, conduzido sob a responsabilidade de cada instituição de ensino superior. Os requisitos mínimos para o ingresso no PET são:

  •      estar regularmente matriculado em curso de graduação;
  •      não ser bolsista de qualquer outro programa;
  •      apresentar Coeficiente de Rendimento Escolar maior ou igual a 6,0 (seis);
  •      ter disponibilidade para dedicar vinte horas semanais às atividades do programa;
  •      assinar o Termo de Compromisso.

 

PET Engenharia Biomédica

    O PET Engenharia Biomédica, aprovado pela PROGRAD em 2010, é um PET Institucional, ou seja, é regido e controlado exclusivamente pela Universidade. Os PETs Institucinais possuem os mesmos fundamentos e princípio dos grupos PET SESu (controlados pelo MEC).
    Sob a orientação de um Professor Tutor, são desenvolvidas atividades de ensino, pesquisa e extensão, envolvendo: área de formação acadêmica, conferências, minicursos e palestras, língua estrangeira adicional, leitura de obras extracurriculares, participação em eventos acadêmicos e científicos, participação e realização de projetos de pesquisa, participação de atividades administrativo-acadêmicas. Todas essas atividades são acompanhadas/avaliadas pelo Comitê Local de Acompanhamento (CLA)

Para mais informações acesse: http://www.petengbio.feelt.ufu.br/

PET Engenharia Elétrica

O PET Eng. Elétrica foi criado em 1992 e já contou com aproximadamente 70 petianos participantes. A Universidade Federal de Uberlândia possui 13 grupos PET vinculados ao MEC e 5 criados pela UFU, sendo que campus do Pontal.

É uma das universidades com maior número de grupos no Brasil. O PET Eng. Elétrica oferece cursos para a graduação relacionados a tópicos que não são abrangidos pela grade curricular, além de realizar outros projetos de extensão, ensino e pesquisa. Alguns dos projetos de maior destaque do PET Elétrica são a organização da Jornada de Engenharia Elétrica e da Jornada de Engenharia Biomédica, evento no qual são promovidas palestras, minicursos e visitas técnicas com a participação de empresas das áreas dos cursos. A Jornada objetiva o aprimoramento dos conhecimentos técnico-científicos dos seus participantes, bem como maior contato entre os graduandos e empresas que atuam nestas áreas.

A Conferência de Estudos em Engenharia Elétrica é um projeto que vem a oportunizar aos alunos e pesquisadores de vários ramos da Engenharia Elétrica a apresentarem suas pesquisas à comunidade acadêmica. Esse evento muito vem a acrescentar aos graduandos pois lhes permite o primeiro contato com a exposição de trabalhos acadêmicos sem a rigorosidade de eventos de grande porte.
O Projeto Trote Social - Consciência e Solidariedade, objetiva estreitar o contato dos ingressantes nos cursos de Engenharia Elétrica e Engenharia Biomédica com a universidade, com as linhas de pesquisa da faculdade, com as entidades de classe e com as comunidades interna e externa à UFU. Além disso, estimula o sentimento de solidariedade nos participantes e contribui para a formação de engenheiros cidadãos. São realizadas atividades como palestras,
arrecadação de alimentos, roupas e brinquedos, visitas a instituições de caridade, confraternização com alunos de outros períodos, entre outros.

Para mais informações acesse: http://www.pet.eletrica.ufu.br